Brachiaria Ruziziensis cv. B. Ruziziensis

Destaques da Forrageira:


1) Estabelecimento vigoroso em diversas situações de plantio.
2) Excelente valor nutritivo.
3) Rápida cobertura do solo.
4) Facilidade de dessecação (indicado para ILP).
5) Boa formação de palhada (indicado para ILP).

* variável em função das condições de ambiente, fertilidade do solo e/ou manejo.

 

Informações gerais: Gramínea forrageira de uso restrito, sendo utilizada principalmente em áreas de integração com lavoura ou áreas de lavoura exclusiva, como cobertura de solo e produção de palhada. Tem como características relevantes o rápido estabelecimento a boa qualidade forrageira, o excelente consumo por parte dos animais e a baixa resistência à cigarrinha-das--pastagens.
Fertilidade: Exigente em fertilidade do solo, para que haja um adequado desenvolvimento requer níveis de saturação de bases situados entre 50% e 60%. Para que haja a persistência da planta ao longo do tempo como espécie forrageira, há a necessidade de reposição periódica da fertilidade do solo.
Áreas de plantio: Para introdução como espécie forrageira, recomenda-se que seja plantada em regiões de solos com boa drenagem e precipitação anual mínima de 900 mm bem distribuídos. Em sistemas de integração com lavoura tolera regime mais restrito de chuvas pelo fato de se beneficiar do microclima propiciado pela espécie agrícola.
Semeadura: A taxa de semeadura é variável dependendo das condições da área, sistema de plantio (sistema a lanço, manual, em linha ou aéreo), disponibilidade de água no período e textura do solo. De forma geral, recomenda-se que haja a distribuição de pelo menos 50 sementes viáveis/m2, garantindo assim o estabelecimento de pelo menos 10 a 20 plântulas/m2, situação considerada satisfatória para um bom estabelecimento.
Produção: Não é uma forrageira adequada para sistemas extensivos devido sua elevada exigência em fertilidade, tampouco para sistemas muito intensivos visto sua menor capacidade de resposta a adubação quando comparada com outros cultivares. Em sistemas com fertilidade média/alta, onde geralmente é cultivada, pode produzir de 10 a 15 t de MS por hectare/ano. Dependendo da fertilidade do solo e do manejo aplicado as taxas de lotação podem variar desde 1,0 até 3,0 UAs por ha/ano na média.
Qualidade forrageira: Apresenta excelente consumo pelos animais, níveis de proteína bruta variando entre 10 e 14% e digestibilidade variando de 55 a 60%. Vale lembrar que estes valores são referenciais para um sistema médio de produção pecuária e são altamente influenciados pela fertilidade natural do solo, nível de adubação, estágio de desenvolvimento e manejo da forrageira.
Cigarrinhas: É uma forrageira bastante suscetível ao ataque de cigarrinhas-das-pastagens, motivo pelo qual não tem seu uso amplamente difundido como pastagem exclusivamente.
Utilização: Além da possibilidade de uso direto como pastagem, é considerada a forrageira mais adaptada para integração lavoura-pecuária em virtude do seu rápido estabelecimento, boa produção de palhada, facilidade de dessecação e alta plantabilidade em sistema de plantio direto. Também se adequa a fenação e uso como pastagem diferida.