Germinação precoce de sementes incrustadas impressiona pecuaristas baianos

Germinação precoce de sementes incrustadas
 impressiona pecuaristas baianos

 

O negócio das Fazendas Samburá I e II, localizadas no sul da Bahia, é a comercialização de leite e, em um futuro próximo, o médico veterinário Marcelo Pereira e o engenheiro de alimentos Osvaldo Santos, têm o intuito de trabalhar com a venda de genética, produzindo animais por meio da fertilização in vitro (FIV). Atentos às novas tecnologias e soluções agropecuárias, os sócios resolveram investir na melhoria e formação de pastagem com as sementes incrustadas de Mombaça e Marandu, desenvolvidas pela Barenbrug do Brasil.

 

“As propriedades possuem, em modo conjunto, aproximadamente 192 hectares e plantamos as sementes em 15 hectares, inicialmente. Ficamos impressionados com a implantação e precocidade de germinação, pois em três dias as forrageiras já estavam em evidência. O vigor também foi excelente e, desde que começamos a rotacionar os animais, a pastagem apresenta alta qualidade”, explica Marcelo.

 

O pecuarista avaliou empiricamente a incrustação das sementes de outras empresas e teve a oportunidade de comprovar significativa diferença na uniformidade, qualidade e padronização do peso. Sendo mais leves as sementes Barenbrug, foi possível observar a diferença na quantidade de sementes em cada saco.

 

O projeto das fazendas é recente, e os sócios esperam produzir dois mil litros de leite por dia. “Estamos na terceira etapa do processo, finalizando a estrutura de ordenha, piquetes e reserva alimentar, mas, enquanto isso, estamos com 60 animais rodando nos módulos concluídos e esperamos entrar com mais 80 fêmeas até janeiro de 2018. Nossa intenção ao expandir é ampliar ainda mais a implantação de sementes forrageiras incrustadas, que está nos rendendo retorno econômico”, garante.

 

A excelência na qualidade dos produtos oferecidos pela Barenbrug é explicada pelo alto padrão de qualidade interno estabelecido pelo próprio Grupo. “Como exemplo dessa elevada exigência, para que cada lote de sementes esteja apto a ser liberado ao mercado, são necessários pelo menos cinco diferentes testes de germinação, enquanto que o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento exige um único teste. O que reforça o nosso compromisso de oferecer apenas o que há de melhor para os clientes”, declara o Supervisor de Vendas da Barenbrug, Caio Real Simões.

 

A melhoria dos sistemas de produção animal brasileiro envolve a reformulação dos modelos e utilização de pastagem. “Incrementar rentabilidade e sustentabilidade as produções agropecuárias é o nosso objetivo. Isso é possível com a adoção das recomendações específicas para cultivares Barenbrug. Oferecemos inovação e qualidade em sementes forrageiras para aumentar a produtividade animal e a rentabilidade dos pecuaristas em todas as regiões do país”, finaliza.