Transição épocas seca/águas

 

Início das chuvas, regime pluviométrico ainda irregular e temperaturas elevadas.

 

Manejo da pastagem

 

  • Época mais crítica para o manejo das pastagens. Planejar a estratégia de manejo e manutenção de cada pastagem.

  • Projetar o uso de cada pastagem segundo os requerimentos de cada categoria animal e alvos de produção animal para a época das águas.
  • Evitar pastejo excessivo realizado após o início das chuvas para não comprometer o potencial produtivo futuro das pastagens.
  • Respeitar a altura do resíduo na saída dos animais (pastejo rotacionado ou intermitente) indicado para cada cultivar, evitando o esgotamento da pastagem.
  • Monitorar a disponibilidade de cada pasto, definindo as alturas alvos de manejo de acordo com o sistema de pastejo e a cultivar utilizada.

 

Roçada

 

  • No início das chuvas o pasto deve apresentar um resíduo baixo, sem restos secos, nem excesso de macega.
  • Uma roçada na altura recomendada de resíduo pode ser executada para uniformizar o pasto, retirar os resíduos secos e eliminar perfilhos mortos que afetam a rebrota e dificultam o consumo pelo animal.
  • Invasoras e pragas
  • Começar um programa de monitoramento regular de invasoras e pragas.
  • Após as primeiras chuvas, quando as plantas invasoras se encontrarem em pleno desenvolvimento, deve-se realizar o controle de acordo com o recomendado para cada espécie presente na área.

 

Adubação

 

  • Essa época apresenta irregularidade de chuvas na maioria das regiões. Assim, para adubação nitrogenada recomenda-se aplicar sulfato de amônio ou nitrato de amônio em detrimento da ureia para reduzir perdas por volatilização.
  • Adiantar a adubação com nitrogênio em pastagens em boa condição produtiva favorece o primeiro pastejo e aumenta a produtividade inicial das pastagens.
  • A adubação deve ser planejada de acordo com os prognósticos climáticos.