Cultivar Sabiá: veja os questionamentos mais comuns sobre a Brachiaria exclusiva da Barenbrug do Brasil

Para esclarecer e ajudar o produtor, a equipe de Pesquisa e Desenvolvimento da Barenbrug do Brasil preparou respostas para as perguntas mais frequentes sobre o cultivar Sabiá

Qual a taxa de semeadura mais indicada para o cultivar Sabiá?

A recomendação de taxa de semeadura para o cultivar Sabiá varia de 10 a 15 kg/ha. Tal variação ocorre por conta de questões de plantio, solo, preparo, maquinário, e método de semeadura. Quando a semeadura é feita em linha normalmente observa-se maior eficiência de emergência, pois é possível controlar a posição e a quantidade de sementes que estão caindo.

Qual teor em porcentagem de proteína bruta do cultivar Sabiá?

Segundo ensaios oficiais realizados pela Barenbrug do Brasil (mais informações no folder digital do produto), o resultado obtido indica que o cultivar Sabiá produziu um teor de 9,2% a 13,4% de proteína bruta em matéria seca total.

Com quantos dias consigo entrar com os animais na área?

Os animais deverão ser colocados para realizar o primeiro pastejo de acordo com alguns pontos principais, dentre eles: fertilidade do solo e condições climáticas. Quanto maior o nível de fertilidade, menor será o tempo necessário para entrar com os animais na área, uma vez que o crescimento da forrageira será mais intenso, caso as condições de umidade, temperatura e luminosidade forem adequados. Logo, dependendo dessas condições mencionadas, pode-se levar de 60 a 90 dias para colocar os animais na área. Além disso, é importante que o primeiro pastejo seja realizado com animais leves para estimular o perfilhamento.

É possível estabelecer o cultivar Sabiá em áreas arenosas?

Os processos de preparo do solo de áreas arenosas devem ser os mesmos processos praticados em solos mais argilosos. O cuidado a mais que se deve ter é em atender os requisitos nutricionais da planta. Isso porque os solos arenosos normalmente apresentam baixa fertilidade natural, demandando assim uma atenção maior e também um investimento na correção e adubação do solo durante o estabelecimento da forrageira.

O cultivar Sabiá tem bom estabelecimento em áreas de morro? Qual a taxa de semeadura?

O cultivar Sabiá, desenvolvido exclusivamente pela Barenbrug do Brasil, se estabelece de maneira satisfatória em áreas de morro. Contudo, a indicação técnica para áreas de morro é aumentar a taxa de semeadura recomendada para o produto (dado do folder técnico é de 10kg/ha) para uma taxa de 12 a 15 kg/ha, dando, desta forma, mais probabilidade que o estabelecimento aconteça de forma satisfatória.

Qual a exigência de fertilidade para o cultivar Sabiá?

Em ensaios regionais conduzidos no Brasil (saiba mais no folder técnico do produto), o cultivar Sabiá é uma forrageira de média exigência em fertilidade do solo.

O cultivar Sabiá é tolerante à cigarrinha?

O cultivar Sabiá foi testado com os principais cultivares no mercado, a exemplo Brachiaria brizantha cv. Marandu (Resistente) e Brachiaria decumbens cv. Basilisk (Suscetível). E se mostrou com o mesmo nível de resistência e/ou superior aos cultivares mais resistentes do mercado.

Além disso, o Sabiá ainda apresenta resistência as principais doenças, é de fácil manejo, possui ótima produção de matéria seca em solos de média fertilidade, apresenta alta intensidade de perfilhamento, e boa persistência em condições adversas de clima e diferentes níveis de tecnologia.

O cultivar Sabiá é tolerante à geada?

A geada está intimamente relacionada ao preparo da planta para enfrentar essa época do ano. Metodologias de manejo devem ser estruturadas para lidar com a geada, como realizar uma fertilização do solo para aumentar a reserva da planta e, com isso, intensificar a capacidade de perfilhamento após o estresse, oferecendo para a planta uma melhor condição para rebrotar.

No período do inverno, o mais indicado é diminuir a massa de forragem para quando a geada formar não expor a planta a um estresse muito grande. Também deve-se rebaixar a planta para que tenha maior proporção de folhas. Tal ação irá favorecer o pastejo pelos animais mesmo com as folhas “queimadas” pela geada.

Um benefício fundamental do cultivar Sabiá é a maior produção na época seca do ano. Na média das avaliações oficiais no Brasil (VCU Corte e Pastejo), o cultivar produziu 47% a mais que o cultivar Marandu na época seca do ano, tendo concentrado 34% da produção anual nesta estação.

O cultivar Sabiá é tolerante à seca?

Um benefício fundamental do cultivar Sabiá é a maior produção na época seca do ano. Na média das avaliações oficiais no Brasil (VCU Corte e Pastejo), o cultivar produziu 47% a mais que o cultivar Marandu na época seca do ano, tendo concentrado 34% da produção anual nesta estação.

Tem necessidade de aplicar herbicida em consórcio do cultivar Sabiá com milho?

Em consórcio do cultivar Sabiá com milho espaçado a 50 cm, não será necessário aplicar herbicida, pois o desenvolvimento inicial do cultivar é mais tardio, assim o milho naturalmente consegue o sombrear.

Se for um milho mais espaçado, como 70 a 80 cm, a abertura é maior e o ideal seria observar o sombreamento. E, por precaução, o produtor pode realizar a aplicação de herbicidas.

O cultivar Sabiá produz quantos kgs de matéria seca por ha?

A produção de matéria seca irá depender das condições de solo (maior ou menor fertilidade), condições de precipitação anual, temperatura da região, luminosidade, entre outros. Mas em ensaios regionais conduzidos no Brasil o cultivar obteve variações de 9,1 a 28,7 kg ton/ha/ano.

Em qual período é a inflorescência do cultivar Sabiá?

O florescimento do cultivar Sabiá está muito relacionado ao manejo, mas na região do Brasil central o mais comum é ocorrer a inflorescência a partir do mês de abril.

Posso fazer sobressemeadura com aveia na entrada do inverno?

Sim, é possível realizar a sobressemeadura com aveia na entrada do inverno. O indicado é semear com plantadeira na linha.

O cultivar Sabiá pode ser plantado em várzea (solo mais úmido)?

O cultivar Sabiá não se adapta a solos úmidos. O ideal para essa situação é plantar humidicola. Caso o solo não fique por muito tempo encharcado é possível fazer o consórcio com o cultivar Sabiá, dependendo do nível de umidade e quanto tempo o solo fica úmido.

Quer saber mais sobre o Sabiá?

Os profissionais de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnólogio da Barenbrug criaram um material técnico com informações sobre os estudos e ensaios realizados ao longo dos cinco anos de desenvolvimento do novo cultivar Sabiá. Faça o download e veja os diferenciais para atingir melhor produtividade em sua propriedade rural.

voltar